Papa-pinto ou cobra d’água: especialistas analisam espécie encontrada em praia no litoral de SP

Entretenimento

Papa-pinto
Mulher que registrou as imagens contou que animal estava agitado e ameaçou dar o bote em um senhor na praia da Aparecida, em Santos (SP).

Uma cobra assustou banhistas na Praia da Aparecida, em Santos, no litoral de São Paulo. Especialistas procurados pelo g1, nesta sexta-feira (19), afirmaram que o réptil pode ser da espécie papa-pinto (Philodryas patagoniensis) ou cobra d’água (Erythrolamprus miliaris). Segundo apurado pela equipe de reportagem, o animal fugiu, o que impossibilitou a captura.

Uma economista que fez o registro, e preferiu não se identificar, contou que estava caminhando pelo local quando percebeu várias pessoas olhando um ponto específico da faixa de areia. “De longe comecei a olhar e vi que era uma cobra”.

A mulher informou ter parado a atividade física e se aproximou para fazer imagens. Ela contou que o animal estava muito agitado. “Morro de medo de cobra e preferi não me arriscar em tirar fotos [mais próximas]. Minha saúde vale mais”.

Ainda de acordo com a economista, um idoso se aproximou da cobra e ela ameaçou dar um bote. “Preferi ir embora. Entendi que mais gente ali acabaria atrapalhando, e eles [outros banhistas] já teriam acionado o órgão ambiental [para a captura]”.

Especialista avalia imagem

 

O biólogo Daniel Bortone explicou que a foto do animal foi feita em a distância que dificulta a identificação, mas que é possível se tratar de uma cobra d’água (Erythrolamprus miliaris) ou papa-pinto (Philodryas patagoniensis).

Bortone afirmou que a cobra d’água é mais comum na região, pois vive em lagos e rios, além de alimentar-se principalmente de peixes. “Não é peçonhenta, apesar de morder caso seja manipulada”.

Já a papa-pinto, que também é chamada de parelheira, come anfíbios, aves e lagartos. “Vive mais nas matas, tanto no chão, quanto no topo das árvores. Elas são peçonhentas, mas não representam nenhum risco para o ser humano”.

Ele disse, ainda, que o dente da papa-pinto que injeta o veneno fica no fundo da boca, ou seja, caso ela morda alguma pessoa, dificilmente esse dente entrará em contato com a pele. “E a peçonha não tem ação séria no nosso corpo”.

O também biólogo Ricardo Samelo afirmou que é comum algumas serpentes de coloração amarela na região, como a papa-pinto e a cobra d’água, mas que a imagem dificulta a identificação.

“Importante lembrar, para tranquilizar a população, que não temos serpentes peçonhentas com esse padrão de cor na nossa região”, disse o biólogo.

Segundo Samelo, a papa-pinto é uma cobra comum, mas não é vista com frequência. Trata-se de uma espécie que tem hábito alimentar diverso, inclusive alimentando-se de outras serpentes. Já a cobra d’água não é uma serpente marinha , mas está associada a locais como rios, lagos e até manguezais.

Para o biólogo Eric Comin, apesar da imagem não facilitar a análise, ele acredita se tratar de uma cobra d’água . O animal mede entre 50 cm a 1 metro e exala um cheiro forte ao ser apanhada, mas não é peçonhenta.

O que disse a Prefeitura?

 

Em nota, a Prefeitura de Santos informou que a Guarda Civil Municipal (GCM) foi acionada no início da manhã da última segunda-feira (15) para a captura de uma suposta cobra na praia da Aparecida, mas que o próprio denunciante não deu informações suficientes para o atendimento. Ele teria perdido o animal de vista durante o chamado.

Fotos: G1
Fonte: G1
0%