Brasil recebe mais 3 membos no Hall da Fama do UFC

Placar 88

mauricio-shogun-rua-durante-pesagem-no-ufc-fight-night-em-2020-1651804907469_v2_4x3
Brasil tinha 3 agora são 6 e faltam mais uns 10 pelo menos

O Hall da Fama do UFC ganha novos integrantes nesta quinta-feira – e com direito a três introduções de brasileiros. Mas, afinal, como ele funciona? E quem já está nele?

São agora 51 nomeações no total.

O Hall da Fama foi criado em 2003, mas ficou de certa forma “abandonado” por um tempo até ser retomado e repaginado em 2015. Atualmente, ele é dividido em 4 alas.

  1. Ala dos Pioneiros: reconhecendo os precursores do esporte, que estrearam antes mesmo das regras unificadas do MMA (antes do UFC 28, em 28 de novembro de 2000)
  2. Ala da Era Moderna: reconhecendo os grandes nomes após a implementação das regras unificadas (depois do UFC 28, em 28 de novembro de 2000)
  3. Ala das Lutas: reconhecendo os combates mais marcantes da história
  4. Ala dos Contribuidores: reconhecendo nomes importantes para o MMA que não sejam de lutadores

O Hall da Fama reconhece também feitos no Pride, WEC e Strikeforce, outros eventos que foram posteriormente comprados pelo UFC.

Brasil no Hall da Fama

Atualmente, o Brasil tem seis representantes nas alas individuais do Hall da Fama: Royce Gracie (pioneiros), Rodrigo Minotauro (pioneiros), Anderson Silva (pioneiros), Wanderlei Silva (pioneiros), Maurício Shogun (era moderna) e José Aldo (era moderna).

Os combates Maurício Shogun x Dan Henderson e Anderson Silva x Chael Sonnen estão inseridos na ala das lutas.

Fotos: O Globo

Compartilhe:

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
0%