Mulher morre esfaqueada e filha fica ferida em Limeira; suspeito é policial militar

Jornal da Notícia

morte tres

Uma mulher e sua filha foram esfaqueadas, na noite desta segunda-feira (29), em Limeira (SP). A mãe morreu no local.

O caso ocorreu na Estrada da Balsa, área rural da cidade. A Polícia Militar informou que um policial militar lotado em Campinas (SP) se desentendeu com as vítimas, das quais é inquilino.

Policial Suspeito de Matar Mãe e Esfaquear Filha em Limeira

Eles teriam discutido por problemas relacionados à chácara alugada.

Em certo momento, após elas entrarem no terreno de sua casa, houve uma discussão, ele foi atingido no braço por uma enxadada e desferiu golpes com faca nas duas mulheres.

A filha foi socorrida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) até um hospital. Também conforme a PM, ela tem quadro de saúde estável e sem risco.

O policial militar suspeito de matar Marizete Fernandes do Nascimento, de 60 anos, a facadas em uma chácara em Limeira (SP) já tinha desavenças com a vítima, dona do imóvel que ele alugava, e com vizinhos há algum tempo, segundo a Polícia Civil.

O crime ocorreu na noite de segunda-feira (29). Wilson Alves de Menezes, de 47 anos, também atingiu a filha da proprietária do imóvel, de 38 anos, que segue internada na Santa Casa de Limeira e não corre risco de morte.

De acordo a Polícia Militar, Menezes não tinha armas dentro do imóvel e está afastado de atividades nas ruas. Ele atendia no Centro de Operações da Polícia Militar (Copom) da cidade, onde desempenhava tarefas internas.

Após o crime, ele ficou preso no plantão policial e deve passar por audiência de custódia na tarde desta terça-feira (30). Caso permaneça preso, será direcionado ao Presídio Militar Romão Gomes, que fica na capital.

A família de Menezes estava no local no momento do crime. Conforme relatado pela esposa do PM para a Polícia Civil, ela se preocupou em proteger os filhos no momento da desavença entre o marido e a proprietária do imóvel.

Desavenças frequentes

O motivo das desavenças entre proprietária e inquilino ainda é incerto, conforme a Polícia Civil. Parentes relataram que nos últimos 8 meses a dona Marizete chegou a pedir para o policial deixar o local, mas isso não aconteceu.

Os pedidos de dona Marizete para que o policial mantivesse o quintal limpo também não eram atendidos. Na segunda-feira, a proprietária foi até o local com a filha durante a manhã para cortar o mato e retornou por volta das 16h para concluir os trabalhos.

À noite, durante a limpeza, começou uma discussão com o PM, que alega ter sido agredido com uma enxada pela dona do imóvel.

Fonte: G1

0%