Lula e Blinken conversaram sobre paz em Gaza e eleições na Venezuela, diz embaixada

Jornal da Notícia

blinken-e-lula
Embaixada dos Estados Unidos divulgou um relato sobre o encontro do presidente e do secretário de Estado.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o secretário de Estado dos Estados Unidos, Antony Blinken, conversaram sobre iniciativas para a paz na Faixa de Gaza e as eleições na Venezuela nesta quarta-feira (21). A informação é da embaixada norte-americana.

Lula e Blinken se reuniram por cerca de 2 horas no Palácio do Planalto. Representantes dos dois governos também estiveram presentes. De acordo com apuração da GloboNews, ambos discordaram sobre a fala de Lula apontando genocídio na Faixa de Gaza.

Após o encontro, a embaixada dos Estados Unidos divulgou um relatório sobre os principais pontos da conversa.

“O secretário discutiu o empenho dos EUA em relação ao conflito em Gaza, incluindo o trabalho urgente com parceiros para facilitar a libertação de todos os reféns e para aumentar a assistência humanitária e melhorar a proteção dos civis palestinos”, afirmou o informativo da embaixada.

Essa foi a única menção, segundo o governo norte-americano, sobre o conflito em Gaza. O encontro de Blinken e Lula ocorreu em meio à polêmica causada por uma fala do presidente no fim de semana. Em viagem oficial à Etiópia, Lula criticou a ação militar de Israel na região. Lula comparou os ataques israelenses ao Holocausto perpetrado pelo regime nazista contra os judeus. A fala de Lula gerou indignação do governo de Israel, que exigiu desculpas do presidente.

A nota da embaixada norte-americana não fala se Blinken e Lula discutiram o discurso do presidente.

Venezuela

Segundo os Estados Unidos, Blinken elogiou Lula pela postura do Brasil na crise entre Venezuela e Guiana.

No fim do ano passado, o governo do presidente venezuelano, Nicolás Maduro, realizou um plebiscito para ouvir a população sobre anexar a região de Essequibo, que pertence à Guiana. A área é rica em recursos minerais. A ação da Venezuela gerou tensão entre os dois países, que ficam na fronteira norte do Brasil.

O governo Lula buscou mediar o conflito e evitar uma escalada nas animosidades. Apesar de o plebiscito ter concordado a inclusão de Essequibo como território venezuelano, a região continua pertencendo à Guiana.

“O secretário Blinken elogiou o presidente Lula pelo papel do Brasil na desescalada das tensões entre a Guiana e a Venezuela sobre a região de Essequibo”, afirmou a embaixada.

A nota cita também as eleições na Venezuela, marcadas para este ano, e lembra que o regime de Maduro se comprometeu com um um pleito democrático e transparente, o que não aconteceu nas últimas disputas eleitorias na Venezuela, segundo órgãos internacionais.

“O secretário reforçou a nossa posição de que Nicolas Maduro deve retornar à implementação do acordo do roteiro eleitoral de Barbados para garantir eleições presidenciais competitivas em 2024.”

Depois de Brasília, Blinken foi para o Rio de Janeiro, onde chanceleres dos países do G20 se encontram nesta semana. O Brasil vai sediar encontro de cúpula do G20 em novembro. Neste giro pela América do Sul, Blinken também terá reunião com o presidente Javier Milei, na Argentina.

Fotos: GOOGLE
Fonte: G1
0%