Equipe da Policia Civil de Americana prende duas mulheres ligadas a roubos de caminhão

Jornal da Notícia

armas

A Polícia Civil de Americana (SP) tenta encontrar mais integrantes de uma quadrilha que sequestrava motorista e roubava caminhões. Na sexta-feira (5), três caminhoneiros foram libertados do cativeiro onde estavam, em uma chácara de Sumaré (SP). A suspeita é que o grupo tenha feito muitas vítimas na região de Campinas (SP). Duas mulheres sendo uma de 27 e a outra de 34 anos foram presas.

Dig de Americana Operação Contra Quadrilha Roubo Caminhões

A quadrilha agia com violência e intimidação. Uma imagem de câmera de segurança de uma rua no bairro dos Amarais, em Campinas (SP), flagrou uma das abordagens. O vídeo mostra que o caminhão está parado e, em seguida, um veículo estaciona do outro lado da rua. Depois, dois homens de uniforme descem, rendem o motorista e colocam ele no carro.

O motorista é um idoso de 63 anos, que viajou do Paraná até Campinas para entregar uma carga. O caminhoneiro foi uma das vítimas libertadas na sexta-feira. Ele foi ameaçado pelos criminosos, que chegaram até a mandar um vídeo para a família dele exigindo um resgate de R$ 20 mil. Pelo menos R$ 10 mil foram enviados à quadrilha.

De acordo com a Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Americana (SP), responsável pela investigação junto com o Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) de Piracicaba (SP), a quadrilha se passava por uma empresa de frete e fazia a contratação do serviço. Quando chegava ao local, o motorista era rendido e, em parte das vezes, tinha o caminhão levado.

Os motoristas foram sequestrados em ocasiões separadas. Em dois dos casos, as carretas foram roubadas e levadas ao Paraguai. No caso da vítima do Paraná, os suspeitos não conseguiram roubar o caminhão porque a empresa fez o bloqueio.

O caso foi registrado como tortura, extorsão mediante sequestro e associação criminosa no 1º Distrito Policial de Americana. A Polícia Civil chegou até as duas mulheres que foram presas por meio da conta que recebeu a transferência, via PIX, dos R$ 10 mil enviados pela família do idoso. Segundo a polícia, o grupo também é ligado ao tráfico de drogas e a uma facção criminosa que atua no estado de São Paulo. A conta bancária está no nome de um homem que é investigado pelos sequestros.

No endereço dele, em Americana, haviam drogas e balanças de precisão, mas o homem não foi localizado.

As mulheres estavam em residências próximas, indicadas pelo avô do suspeito, e confirmaram que conhecem o homem e fizeram saques da conta bancária a pedido dele.

Fonte: G1

0%