Após Israel declarar Lula ‘persona non grata’, governo decide chamar embaixador de volta ao Brasil

Jornal da Notícia

52907851718-4a75f2354a-k
No domingo, Lula comparou ações de Israel na Faixa de Gaza ao extermínio de judeus pela Alemanha nazista.

O Ministério das Relações Exteriores deve trazer de volta ao Brasil o embaixador brasileiro em Israel, Frederico Meyer.

A ordem foi dada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) após a reação israelense à sua fala no domingo.

Em entrevista, Lula comparou as ações de Israel na Faixa de Gaza, na guerra contra o grupo terrorista islâmico Hamas, ao Holocausto promovido pela Alemanha nazista.

“O que está acontecendo na Faixa de Gaza e com o povo palestino não existe em nenhum outro momento histórico. Aliás, existiu: quando o Hitler resolveu matar os judeus”, disse Lula.

A fala do presidente brasileiro foi duramente criticada pelo governo de Israel e por entidades israelitas.

Nesta segunda, o ministro das Relações Exteriores de Israel, Israel Katz, levou Frederico Meyer para uma reunião de reprimenda no Museu do Holocausto, em Jerusalém. Lá, informou o governo brasileiro que Lula seria “persona non grata” em Israel até se retratar das declarações.

“Não perdoaremos e não esqueceremos — em meu nome e em nome dos cidadãos de Israel, informei ao Presidente Lula que ele é uma ‘persona non grata’ em Israel até que ele peça desculpas e se se retrate”, escreveu Katz nas redes sociais.

Fotos: Geraldo Magela/Agência Senado
Fonte: G1
0%